Dúvidas? Entre em contato!

Whatsapp:
(48) 9664-4701 Facebook: Clique aqui E-mail: deivid_filipi@hotmail.com

10 dicas para importar pela internet

10 dicas para importar pela internet

1- Produtos importados pagam tributos específicos, por isso verifique se a taxa está inclusa no valor final do produto.


2- Populares no Dia dos Pais, artigos esportivos e perfumes são apenas alguns produtos importados cuja procura aumenta muito nesta época do ano. Mas apesar de o dólar seguir em ritmo de desvalorização, cotado abaixo dos R$ 2 nos últimos dias, entusiasmando quem pretende apostar nesse tipo de presente, a forma de comprá-lo, ou seja, pela internet, pede mais atenção do que o preço anunciado do mimo.
No corre-corre para garantir o presente importado para o Dia dos Pais, é comum fechar negócio em lojas virtuais e sites de compras coletivas sem atenção. Como resultado do descuido, taxas adicionais podem ser cobradas, dependendo do prazo, o presente atrasar ou simplesmente não chegar. Para que o embrulho do papai não seja comprometido confira oito dicas para transações de importados pela web.


3- O que você pode ou não importar
Antes de tudo, veja as regras do que e como comprar importados no site da Receita Federal. Livros, revistas e jornais são isentos de taxas de importação. Encomendas até US$ 500 não exigem declaração e têm a taxação do Imposto de Importação correspondente a 60% do valor total da encomenda. Compras de US$ 500 a US$ 3 mil são tributadas pelo imposto de importação e pelo Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), cuja alíquota varia de 12% a 25%, dependendo do Estado. Mais as despesas do desembaraço aduaneiro, para entregas por navio ou avião. Neste caso, o comprador deve preencher a Declaração Simplificada de Importação (DSI). Alguns sites já fazem a declaração pelo cliente. Em outros, é preciso buscar o produto nos correios, preencher o formulário e pagar as taxas. O imposto a pagar é enviado pela Receita Federal com o Aviso de Chegada dos Correios. No documento, é indicada a agência do correio onde o tributo deverá ser pago, e a mercadoria, retirada.


4- Taxas adicionais
O valor máximo para compras de importados pela internet é US$ 3 mil, contudo, a importação de produtos implica no pagamento de tributos. Por isso, a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Fundação Procon-SP), indica que a proposta de compra seja lida com muita atenção, pois - em muitos casos - o valor dos tributos pode ser superior ao valor do próprio produto e estar (ou não) embutido no preço anunciado. Lembre-se: ao comprar pelo cartão de crédito, a cotação do dólar é a impressa na data da fatura, e não a do dia da compra.


5- Peso e dimensões do produto
Antes de fechar a compra, observe se o produto que está comprando vem com as descrições completas de pesos e medidas para evitar surpresas como, pagar por 100 ml e levar 30 ml. Se o produto entregue não for igual ao apresentado na loja virtual, o consumidor pode escolher entre trocar ou cancelar a compra com direito à devolução do que já tinha sido pago.


6- Calcule, prazo de entrega
As lojas online são obrigadas a informar o prazo de entrega do produto e o custo do frete, já que, na maioria das vezes, o preço anunciado não contempla a taxa de envio. Mesmo assim, não deixe para última hora, imprevistos acontecem com frequência, especialmente em datas comemorativas. Vale lembrar que as taxas de frete geralmente variam de 3% a 10% do preço do produto, de acordo com seu volume, peso e modelo.


7- Fornecedores de confiança
Na hora de comprar, dê preferência para fornecedores conhecidos e de confiança. Eles devem ter razão social, Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), telefone e e-mail. "Procure, também, o endereço físico de um representante da marca no Brasil", alerta Marcus Vinicius dos Santos Andrade, coordenador do curso de Direito da Universidade Anhembi Morumbi. O Procon pede ainda atenção redobrada em negociações com sites que tenham apenas celular como forma de contato.


8- Sites de compras coletivas, Cuidado.
Pode ocorrer de o e-commerce não responder à solicitação, principalmente em aquisições feitas em sites de compras coletivas. Contudo, em casos de cancelamento ou troca não atendidos, o consumidor pode solicitar estorno do valor para a administradora de cartão de crédito ou empresa responsável pela intermediação do pagamento.


9- Comprovantes guardados
"Documente tudo sobre a compra: comprovante de pagamento, contrato e anúncios", ensina Marcus. Vale lembrar que tanto o estabelecimento comercial que fez a oferta, como o site de compras coletivas, quando utilizado, pode ser acionado em caso de problemas. Em última instância, eles são parceiros na atividade comercial.


10- Onde reclamar
Antes de abrir processo contra a empresa, consumidores devem seguir uma espécie de hierarquia de reclamações. "Primeiro, procure a loja para resolver administrativamente. Se não for solucionado, vá atrás da marca. Só depois disso procure os órgãos de proteção do consumidor e o poder judiciário", ensina o advogado.

Um comentário:

  1. Muito boa as suas dicas..
    Uma das coisas mais confusas na importaçao é o processo de entrega prazo.. e taxas alfandegarias..
    Que na verdade é o que mais agrega valor aos produtos comercializados fora do brasil..

    ResponderExcluir

Olá, comentários ofensivos e auto promoção serão descartados.