Dúvidas? Entre em contato!

Whatsapp:
(48) 9664-4701 Facebook: Clique aqui E-mail: deivid_filipi@hotmail.com

Como iniciar no ramo de revender produtos Importados


Estou eufórico com o momento econômico do Brasil. Politicagem à parte, a coisa anda muito boa e parece que veremos um crescimento inédito nos próximos dez ou quinze anos. Os entendidos de economia dizem que oportuidade como essa que está chegando somente nossos netos verão, pois ja que a economia é cíclica, vivemos em ondas de bonança e tormenta.
Assim como eu muitas pessoas estão se perguntando como surfar nessa grande onda que está chegando? Uma das respostas que sempre surge na roda é “importação de produtos”, e quando se fala em produto importado fala-se naturalmente da China.

Felizmente importar da china está cada vez mais fácil, mas... por onde começar?
Comece definindo o produto que se quer importar. A China oferece praticamente tudo que precisamos, a maioria delas com preços muito atrativos. Se tem dúvidas quanto aos produtos, escolha aqueles que você ou sua equipe tenha habilidade em vender. Não adianta trazer produtos onde a margem de lucro é alta se você não vai conseguir vender o produto. Isso é o mais importante. Escolher produtos que você entenda as características.

Depois de definir o produto, é preciso saber se ele é viável, ou seja, saber o seu custo na origem, características de qualidade e custos de importação. Fazer isso realmente não é tarefa das mais fáceis pois existem uma oferta muito grande de exportadores chineses na internet, mas nem sempre são fabricantes e sim agentes ou traders (escritórios que ganham comissão das fábricas). Em tese não há problema em comprar de traders, contudo o compromisso deles com qualidade é menor que quando se compra do fabricante, sem dizer que o custo aumenta. Contudo é possível encontrar bons fornecedores pela internet. Assim, antes de importar é importante trabalhar com amostras para ter uma noção melhor daquilo que se vai importar. Recomendo comprar preços entre cinco fornecedores diferentes, a diferença de preço pode ser gritante.
Tendo os custos do produto no país de origem, faz-se necessário pesquisar a NCM (Nomenclarutra comum mercosul) do produto para sabe exatamente os custos de importação, eventuais exigências de licenças ou tratamentos administrativos específicos. Por exemplo: se for importar ar condicionado,  vai precisar de licença do Inmetro. Se a opção for importar telefone celular, precisa de autorização da Anatel. Alimentos precisa de inspeção da Anvisa e assim por diante. Com isso sabe-se as taxas de impostos e burocracia legal para importar o produto.

Outro aspecto determinante é a logística que será utilizada para trazer o produto até o Brasil. Em grandes temas temos dois modais para importar: aéreo e marítimo. Mas a realidade é bem mais detalhada que isso, é preciso determinar quem levará o produto até o depósito no porto de origem, quem pagará pela estadia enquanto não se carrega o navio/avião, contratar seguro da carga. Quando a carga chega no Brasil, existem diversos custos nos portos e aeroportos além do transito interno até o porto destino (caso seja um porto seco), que é feito somente por tranportadoas alfandegadas.
Com todas essas informações cotadas e planihadas, é possível saber qual será o custo do produto quando ele chegar em sua empresa e, a partir daí, saber se é viável ou não importar tal produto, vender com uma margem de lucro “da china” e aproveitar a onde de consumo que citei no início do texto para faturar muito e ganhar um bom dinheiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, comentários ofensivos e auto promoção serão descartados.